<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=542815619221093&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

Veja como ficaria o melhor time da Chapecoense de todos os tempos

veja-como-ficaria-o-melhor-time-da-chapecoense-de-todos-os-tempos.png

Crédito foto: Getty Images

Da paixão pelo futebol surgiu um clube de muita garra, determinação e principalmente, superação. Na década de 70, representantes dos principais times amadores de Chapecó, Alvadir Pelisser, Heitor Pasqualotto e Altair Zanella, do Independente Futebol Clube, Lotário Immich e Vicente Delai, do Clube Atlético Chapecó, se reuniram e fundaram o primeiro clube de futebol profissional da cidade, a Associação Chapecoense de Futebol.

São 44 anos de uma história dividida entre momentos difíceis e alegrias, mas a união, a força e o comprometimento permitiram a ascensão da Série D até a elite do futebol nacional em cinco anos, a conquista de seis títulos estaduais e a recente Taça da Copa Sul-Americana. Muito além dos troféus, o time do interior de Santa Catarina, leva na bagagem vários triunfos em cima de grandes nomes do mercado futebolístico nacional e internacional.

Mas, nenhum desses feitos seria possível sem os elencos entrosados, que tornavam o ambiente extremamente familiar e buscavam incessantemente os objetivos. Agora, já pensou reunir em um time só todas as feras que passaram pelo Verdão? A equipe do Esportudo.com fez isso e escalou o time dos sonhos da Chape no 4-3-3, esquema tático mais utilizado pelo alviverde. Confira!

1. Goleiros: Danilo e Nivaldo 

danilo-nivaldo.jpg

A posição de goleiro carrega dois arqueiros que a representaram muito bem e se tornaram ídolos da torcida verde e branca. “Deusnilo” ou “São Danilo”, como era carinhosamente chamado o goleiro Danilo pelo torcedor do Verdão, se eternizou por suas grandes atuações e pelas belas defesas na Sul-Americana do ano passado. Já Nivaldo, aos 42 anos, é ex-goleiro e atual gerente de futebol da Chape. Ele defendeu o clube por dez anos, participou de todos os acessos e foi líder dentro e fora de campo.

2. Lateral-direito: Apodi 

apodi-chapecoense

Diferenciado, Apodi impressiona por suas arrancadas incríveis e sua velocidade quase sem fim, e assim possibilita um apoio ofensivo verdadeiramente interessante. O lateral-direito se tornou motivo de inúmeras paródias devido às jogadas inacreditáveis. A principal delas foi depois do gol que garantiu a vitória de virada contra o Grêmio, em 2015. O camisa 2, hoje 22, percorreu 72,9 metros e atingiu uma velocidade de 38,2 km/h, antes de finalizar.

3. Zagueiro: Rafael Lima

rafael-lima-chape.jpg

Ídolo da torcida e figura significativa no recente crescimento da Chape. A disciplina e a liderança são fatores que andam junto com Rafael Lima. O defensor não toma cartão vermelho há dois anos e das cinco temporadas que vestiu a camisa verde e branca, carregou a faixa de capitão por quatro anos consecutivos.

instagram-de-futebol

4. Zagueiro: Willian Thiego

willian-thiego-chapeco.jpg

Defensor experiente, talentoso e de uma peculiaridade que chamava atenção, a de balançar as redes. Os oito gols marcados na temporada de 2016, um deles nas quartas de final da Sul-Americana contra o Junior Barranquilla (COL) na goleada por 3 a 0, fizeram do camisa 27, o zagueiro brasileiro que mais marcou no ano passado e deu a ele a fama de zagueiro artilheiro.

5. Lateral-esquerdo: Dener 

dener-chapecoense.jpg

Lateral de muita força física e bem distante da palavra “lesão”, Dener exibia uma regularidade excelente. Era um dos titulares absolutos da equipe e desde que assumiu a ala esquerda, foi um dos jogadores que mais atuou nas temporadas de 2015 e 2016 pela Chape.

6.Volante: Bruno Silva 

bruno-volante-ex-chape.jpg

Com duas passagens pelo Verdão, Bruno Silva destaca-se pela tática e a regularidade em campo. Determinante no quesito desarmes, o volante auxilia na marcação, na movimentação da bola no setor do meio-campo e no apoio ao ataque. Em 2014, teve importante colaboração nas jogadas que deram origem aos gols da Chape, foram oito assistências no Brasileirão.

7. Volante/Meia: Cléber Santana 

cleber-santana-ex-chapecoense.jpg

O craque que já jogou na Europa e com estrelas nacionais e internacionais, aliava experiência, técnica, habilidade e talento. Mesmo aos 35 anos, o volante de origem que preferia atuar como meia, atravessava um dos melhores momentos da carreira. CS88 além de ditar o ritmo da equipe, era líder e o “capita” da jovem Chapecoense de 2016.

8. Meia: Camilo

camilo-chapeco.jpg

Na Chape dos sonhos não poderia faltar o camisa 10. Dono da comemoração que virou marca registrada em Chapecó, Camilo, é o famoso homem de criação e armador de jogadas. O meia se destacou nas campanhas de 2014 e 2015 pelo Verdão. 

9. Atacante: Henrique Dourado 

henrique-dourado-chapecoense.jpg

Crédito foto: Reprodução /  Página do jogador no Facebook / Henrique Dourado

Já ouviu falar no Ceifador? Ou sabe quem é o atual artilheiro do Brasileirão? O cara com faro de gol é ex-Chapecoense. O centroavante do Flu, com qualidade pela ponta direita, foi um dos reforços da Chape na reta final do acesso para a Série B. Em oito partidas, marcou cinco gols e virou o artilheiro do time na competição. 

10. Atacante: Ananias

ananias-chapecoense-ex-jogador-da-chape.jpg

Ananiesta, o atacante baixinho, decisivo, de velocidade e de gols marcantes. O camisa 11 foi responsável pelo gol de empate com o San Lorenzo, em Buenos Aires, na semifinal da Sul-Americana. Mas, esse não foi só mais um gol. Foi o gol da classificação histórica da Chape para a final de umas das competições internacionais mais relevantes. Foi o último gol dele pela equipe que brilhou nos campos da América e ganhou um espacinho no coração do mundo.

twitter-de-esportes-esportudo

11. Atacante: Bruno Rangel

bruno-rangel-artilheiro.jpg

De joelho, de cabeça, de perna direita, de perna esquerda, foi assim, empilhando gols que o “Power Rangel” ou “BR9”, como preferir, se tornou o maior artilheiro do clube, o maior artilheiro da história da Série B e se imortalizou o centroavante “matador” da Chape. De estilo “tranquilão” e pouca movimentação, Rangel deixava a impressão de não ser muito perigoso, porém o atacante surpreendeu muitos goleiros e zagueiros.

12. Técnico: Caio Júnior 

caio-junior-chapeco.jpg

Com jeito acolhedor de tratar todos como filhos, o comandante recebeu o título de paizão entre os jogadores. Adapto dos sistemas 4-2-3-1 e 4-3-3, Caio Júnior procurava construir uma equipe competitiva, mas equilibrada, com força defensiva e também ofensiva. Ciente dos sonhos da pequena grande Chapecoense, o técnico acreditava no equilíbrio, nos pés no chão e definia o segredo do sucesso como a ligação entre ambiente de trabalho, torcida e imprensa local. Todas essas características juntas levaram o Verdão e Chapecó inteira à final da Sul-Americana e a mais um ano na elite.

seleçao-esportudo-chapecoense-melhor-time-de-todos-os-tempos.png

 Crédito foto: Getty Images / Edição por Isabel Piccoli

E aí, curtiu o nosso melhor time da Chapecoense de todos os tempos? Comente e acompanhe mais notícias do seu esporte favorito no Esportudo.com!

Veja também:
10 jogadores odiados no mundo do futebol
Top 10 dos maiores artilheiros em atividade no futebol mundial
5 melhores árbitros do futebol brasileiro na atualidade

Veja Mais Notícias Assim

Categorias: Futebol brasileiro, Brasileirão, Chapecoense, Melhores, Sul-Americana, Danilo Fernandes, Todos os tempos, Seleção, henrique dourado, Bruno Rangel, Ananias, Time da Chapecoense, Caio Júnior

Isabel Piccoli

Escrito por Isabel Piccoli

Estudante de Jornalismo, 18 anos, Santa Catarina.

Recent Posts

Lists by Topic

see all
New Call-to-action