<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=542815619221093&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

Recordar é viver! Relembre os melhores momentos do Mundial do Tricolor

recordar-e-viver-relembre-os-melhores-momentos-do-mundial-do-tricolor.png

Crédito foto: Divulgação / site oficial do São Paulo

Em tempos de Mundial de Clubes, o torcedor fica aflito: é a chance do seu time de coração conquistar o mundo. Com o São Paulo não é diferente! Para os torcedores mais antigos, momentos dos Mundiais de 92 e 93 vem à tona; para os mais novos, o glorioso título de 2005 abastece o coração, enchendo-o de recordações. Em clima de retrospectiva para 2017 e período decisivo para descobrir quem será o grande campeão de 2016, a equipe do Esportudo.com relembrou os melhores momentos de todos os títulos que o São Paulo conquistou nesta competição e traz abaixo em uma seleção especial:

1. Mundial de Interclubes de 1992

recordar-e-viver-relembre-os-melhores-momentos-do-mundial-do-tricolor-1992

Crédito: Arquivo Histórico do São Paulo Futebol Clube

Há 24 anos, o São Paulo Futebol Clube conquistava o mundo. Em partida única, o time do Morumbi venceu o Barcelona por 2 a 1, com dois gols de Raí, um feito aos 27 min do primeiro tempo e o outro aos 34 min do segundo tempo; o Barcelona abriu o placar com Stoichkov, aos 12 min do primeiro tempo. O time catalão era considerado o Dream Team do ano, pois contava com jogadores como Guardiola, Koeman, Zubizarreta, Nadal, Sergi, o treinador Johan Cruyff e o próprio Stoichkov, dono do gol do clube na partida, mas nem por isso, o São Paulo se desmotivou. Após sair em desvantagem, Raí deixou tudo igual com seu gol ainda no primeiro tempo. A igualdade no placar durou até os 34 min do segundo tempo, quando Raí, novamente, marcou e colocou o título de 1992 nas mãos do São Paulo.


black-friday

Ficha técnica

13.12.1992
Tóquio (Japão)
Estádio Nacional de Tóquio

Fútbol Club BARCELONA 1 X 2 SÃO PAULO Futebol Clube

FCB: Zubizarreta; Ferrer, Ronald Koeman, Guardiola e Eusébio; Bakero (Goicoechea, 6'/2), Amor, Stoichkov e Michael Laudrup; Richard Witschge e Beguiristain (Nadal, 34'/2). Técnico: Johan Cruyff.

Gol: Stoichkov, 12'/1.

SPFC: Zetti; Vítor, Adílson, Ronaldão e Ronaldo Luís; Pintado, Toninho Cerezo (Dinho, 38'/2), Raí (capitão) e Cafu; Palhinha e Müller. Técnico: Telê Santana.

Gols: Raí, 27'/1; Raí, 34'/2.

Árbitro: Juan Carlos Loustau (Argentina)

Assistente 1: Park Hae Yong (Coréia do Sul)

Assistente 2: Shinichiro Obata (Japão)

Renda: US$ 2.500.000,00

Público: 60.000 pagantes

Você sabia?

O técnico do Barcelona, Joan Cruyff, ao final da partida, questionado sobre o título do São Paulo, lançou a seguinte frase, até hoje lembrada pelo torcedor: “Se é para ser atropelado, que seja por uma Ferrari...”

2. Mundial de Interclubes de 1993

recordar-e-viver-relembre-os-melhores-momentos-do-mundial-do-tricolor-1993-sao-paulo

Crédito: Arquivo Histórico do São Paulo Futebol Clube

Meio-dia no Japão, meia-noite no Brasil. Quem acompanhou esse jogo com certeza teve bons sonhos para contar ao acordar. Diante de um Milan forte, vice-campeão europeu, o São Paulo não abaixou a cabeça e partiu para cima do adversário. O Milan pode até ter começado melhor o jogo, mas o São Paulo reagiu e mostrou a que veio. No primeiro tempo, somente o gol de Palhinha para alegrar a torcida tricolor. Já no segundo tempo, o Milan reagiu e empatou o placar com Massaro, logo aos três min de bola rolando, mas o empate não durou muito tempo: aos 14 min, Toninho Cerezo colocava o Tricolor do Morumbi em vantagem no placar. O Milan até conseguiu, no desespero, empatar a partida com gol de Papin aos 36 min, mas aos 41 min Müller fez as honras, marcou o seu e deu ao São Paulo o título de bicampeão do torneio.

lollapalooza

Ficha técnica

12.12.1993
Tóquio (Japão)
Estádio Nacional de Tóquio

Associazione Calcio MILAN 2 X 3 SÃO PAULO Futebol Clube

ACM: Rossi; Panucci, Baresi, Costacurta e Maldini; Albertini (Orlando, 34'/2), Desailly e Donadoni; Massaro, Papin e Raducioiu (Tassotti, 34'/2). Técnico: Fabio Capello.

Gols: Massaro, 3'/2; Papin, 35'/2

SPFC: Zetti; Cafu, Válber, Ronaldão (capitão) e André Luiz; Doriva, Dinho, Toninho Cerezo e Leonardo; Palhinha (Juninho, 19'/2) e Müller. Técnico: Telê Santana.

Gols: Palhinha, 19'/1; Toninho Cerezo, 14'/2; Müller, 41'/2

Árbitro: Joël Quinou (França)

Assistente 1: Park Hae Yong (Coréia do Sul)

Assistente 2: Yamaguchi Morihisa (Japão)

Público: 52.275 pagantes

Você sabia?

Em 1993, era para o São Paulo ter enfrentado o clube francês Olympique de Marseille, mas o clube foi punido por um caso de corrupção e não pode jogar a partida.

3. Mundial de Clubes de 2005

recordar-e-viver-relembre-os-melhores-momentos-do-mundial-do-tricolor-2005-sao-paulo

Crédito foto: Arquivo Histórico do São Paulo Futebol Clube

Após 12 anos do último título conquistado, o São Paulo novamente viajava o mundo em busca de uma nova conquista. Antes de chegar à final contra o Liverpool, o Tricolor Paulista teve que jogar uma semifinal contra o Al-Ittihad, da Arábia Saudita, jogo que ganhou de 3 a 2 – até o ano de 2004 o campeonato era disputado em partida única.

A final, contra o Liverpool, não seria nada fácil! O São Paulo não era o favorito e sabia que teria dificuldades na partida, mas contou com uma atuação milagrosa de Rogério Ceni, a união da equipe e o gol da salvação de Mineiro para vencer essa partida. Aos 26 min do primeiro tempo, Mineiro aproveitou uma oportunidade, recebeu de Aloísio e marcou o gol que daria o título ao São Paulo, mas disso ninguém ainda sabia. Até o final da partida, o Liverpool pressionou o Tricolor Paulista em busca do gol de empate, porém Rogério Ceni fechou o gol e o time de guerreiros se uniu para impedir o revés da partida. O time inglês ainda conseguiria marcar dois gols, mas os dois estavam impedidos. Mais uma vez o São Paulo conquistava o mundo!

centauro


Ficha técnica

18.12.2005
Yokohama (Japão)
Estádio Internacional de Yokohama

LIVERPOOL Football Club 0 X 1 SÃO PAULO Futebol Clube

LFC: Reina; Finnan, Carragher, Hyppia e Warnock (Riise); Sissoko (Sinama Pongolle), Gerrard, Xabi Alonso e Luis Garcia; Kewell e Morientes (Peter Crouch). Técnico: Rafa Benítez.

SPFC: Rogério Ceni (capitão); Fabão, Diego Lugano e Edcarlos; Cicinho, Mineiro, Josué, Danilo e Júnior; Amoroso e Aloísio (Grafite). Técnico: Paulo Autuori.

Gol: Mineiro, 26'/1.

Árbitro: Benito Armando Archundía Téllez (México)

Assistente 1: Arturo Velasquez (México)

Assistente 2: Héctor Vergara (Canadá)

Público: 66.821 pagantes

Você sabia?

O Raí, campeão do Mundial de Interclubes em 1992, viajou com o clube para o Japão, treinou com os jogadores e foi apoio crucial para o time.

O Liverpool não perdia e nem tomava gol há 11 partidas antes de encarar o São Paulo.

Rogério Ceni sentiu uma lesão no menisco durante treinamento antes da partida contra o Liverpool e mesmo assim jogou a partida.

A invasão de um corintiano dentro de campo mudou a trajetória do jogo para o São Paulo, que estava passando por pressão do Liverpool. Após a sequência da partida, o Tricolor recuperou seu ritmo e virou o jogo a seu favor.

E para você, torcedor são-paulino? Qual o momento que mais te marcou nestes três Mundiais conquistados pelo São Paulo? Deixe nos comentários a sua opinião!

Veja também:
Saiba por que o Rogério Ceni não está pronto para treinar o São Paulo
4 esportes que estão ganhando espaço na preferência dos brasileiros
Veja 10 jogadores de futebol que já revelaram o seu clube do coração

Veja Mais Notícias Assim

Categorias: São Paulo, Rogério Ceni, Futebol brasileiro, Copa Libertadores, Tricolor, Mundial, Melhores, melhores momentos

Stephanie Contiero

Escrito por Stephanie Contiero

Stephanie Contiero é formada em Linguística pela Universidade Federal de São Carlos, é amante da gramática e não perde a chance de idolatrar o futebol. São-paulina de carteirinha, traz textos opinativos sobre o clube, com uma leitura leve e dinâmica

Recent Posts

Lists by Topic

see all
New Call-to-action