<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=542815619221093&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

5 motivos comprovam a evolução dos jogadores do Cruzeiro com Mano

motivos-comprovam-a-evolucao-dos-jogadores-do-cruzeiro-com-mano.png

Crédito foto: Reprodução Facebook oficial do clube

O técnico Mano Menezes retornou ao Cruzeiro em 26 de julho de 2016, após um semestre trabalhando na China, mais especificamente no Shandong Luneng. Desde então, a Raposa era dirigida pelo português Paulo Bento, que já havia trabalhado inclusive na seleção portuguesa.

Com o treinador estrangeiro, o time azul obteve um aproveitamento de cerca de 41% dos pontos disputados. Foram seis vitórias, três empates e oito derrotas no Campeonato Brasileiro. Desempenho aquém de um time que em 2013 e 2014 foi bicampeão brasileiro.

Analisando tal campanha chama atenção, principalmente, o desempenho defensivo da equipe. Em 15 jogos, a Raposa sofreu nada menos que 26 gols, acarretando em uma média de 1,73 gols por partida.

A chegada de Mano trouxe ao time da Toca novas expectativas: sair da zona de rebaixamento e se possível obter uma melhor classificação no campeonato, como ocorreu em 2015. Na época, o clube também era dirigido pelo treinador e acabou terminando na oitava colocação. Não abdicando do Campeonato Brasileiro, a Raposa busca também o pentacampeonato da Copa do Brasil. Fato é que alguns fatores já comprovam e explicam certa evolução, após a chegada do novo treinador, confira:

1. Dupla de zaga titular

Com ele, o time ganhou uma dupla de zaga titular. O treinador utilizou sempre que possível Manoel e Bruno Rodrigo. Com os dois atuando juntos foram 13 gols sofridos em 10 jogos, uma média de 1,3 gols por partida.

2. Chance para Léo

leo-motivos-comprovam-a-evolucao-dos-jogadores-do-cruzeiro-com-mano-brasileirao

Crédito foto: Divulgação site oficial do clube

Após a suspensão de Manoel por quatro jogos na derrota contra o São Paulo, Léo ganhou a titularidade entre os jogadores do Cruzeiro. A nova dupla de zaga melhorou ainda mais no sistema defensivo da equipe. Em quatro jogos foram quatro gols sofridos. Uma média de um gol por partida. Além disso, contra Grêmio e Ponte Preta, a Raposa não levou gols.

3. Desempenho em casa

Atuando em casa o desempenho também melhorou. Antes da chegada de Mano, a Raposa detinha a pior campanha como mandante do campeonato, atrás até mesmo do América-MG, lanterna da competição. Desde sua chegada, o clube alcançou pouco mais de 70% de aproveitamento jogando no Mineirão. Em oito jogos, foram cinco vitórias, dois empates e apenas uma derrota diante do Botafogo.

4. Fator torcida

torcida-celeste-motivos-comprovam-a-evolucao-dos-jogadores-do-cruzeiro-com-mano

Crédito foto: Reprodução Facebook oficial do clube

A torcida tem sido outro aliado importante do time na reta final de competição. No momento, o time possui a quarta melhor média de público do Brasileiro. São 23.695 mil pagantes em média por jogo até aqui. Ou seja, a torcida promete não abandonar os jogadores do Cruzeiro, mesmo com a campanha ruim, ela tem comparecido em peso e tem sido elemento importante para a mudança de comportamento dos jogadores.

5. Peças de reposição

Essa tem sido uma das palavras-chave para a manutenção dos bons resultados do Cruzeiro. Isso porque, ao longo da temporada, várias baixas no elenco foram constatadas devido a lesões. Por exemplo, a equipe já perdeu este ano os meias: Marcos Vinícius, Alisson, Élber, Alex, Ariel Cabral e Henrique. Com exceção do primeiro, todos os outros já estão disponíveis para jogar no momento.

Entre os nomes de destaque ainda em recuperação, estão: Dedé (zagueiro), Judivan (atacante), Fábio (goleiro) e Mayke (lateral-direito). Por outro lado, sem tais jogadores, quem tem entrado vêm ajudado a equipe a melhorar o desempenho. Rafael (goleiro), Ezequiel (lateral-direito), Léo (zagueiro), reservas em suas posições, ajudaram, por exemplo, a equilibrar a defesa celeste, que hoje sofre bem menos gols que no primeiro semestre do ano.

Assim como em 2015, o treinador celeste mantém o bom trabalho feito e permite com que o torcedor ainda sonhe com algo a mais em 2016. Pensando que, de acordo com os números levantados por especialistas, 45 pontos são suficientes para se livrar do rebaixamento. De tal forma, faltariam apenas seis pontos em oito jogos a serem disputados. Uma tarefa plenamente possível, uma vez que o clube atravessa um bom momento, principalmente, jogando dentro de casa, onde tem o apoio de seu torcedor.

A Copa do Brasil também é um sonho real, mesmo tendo perdido o primeiro jogo jogando em SP contra a equipe do Corinthians, uma vitória simples por 1 a 0, garante a Raposa nas quartas de final da competição.

E aí curtiu o nosso conteúdo? Comente e acompanhe mais notícias do seu esporte favorito no Esportudo.com!

Veja também:
Musas da bola: Veja as 10 mulheres mais gatas da arbitragem brasileira
As mudanças no Brasileirão com mais 2 vagas na Copa Libertadores 2017
Seleção brasileira: 5 motivos para acreditar que Tite criou um monstro

Veja Mais Notícias Assim

Categorias: Futebol, Cruzeiro, Futebol brasileiro, Brasileirão, Mano Menezes

Vinícius Viana Duczmal

Escrito por Vinícius Viana Duczmal

Vinicius é estudante de Jornalismo pela PUC-MG, escritor e autor do Esportudo.com. É apaixonado por esportes, acompanha de tudo um pouco e está sempre antenado nas principais notícias do Brasil e no mundo.

Lists by Topic

see all
New Call-to-action