<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=542815619221093&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

O futebol moderno deve ser uma evolução e não uma anulação do tradicional

o-futebol-moderno-deve-ser-uma-evolucao-e-nao-uma-anulacao-do-tradicional.jpg

Crédito foto: Reprodução Facebook

O futebol moderno é alvo de críticas pela maioria das pessoas, principalmente de integrantes de torcidas organizadas, mas eles também são alvos de críticas, dessa vez pelos considerados "torcedores comuns". Nessa briga entre os tipos de futebol, você vai ver os principais pontos da discussão pelos apoiadores de cada lado.

O futebol moderno é descrito como um tipo gourmet de assistir futebol. Os que se dizem contra levantam pontos como, por exemplo, a proibição de bandeirões e baterias nos estádios, juntamente com sinalizadores, assistir aos jogos sentados e a falta do chamado "povão" nos eventos, com cada vez mais pessoas indo aos estádios para tirar fotos ou passeios, não como forma de apoiar ao time. Nisso, os que são a favor do futebol tradicional lutam para que esses hábitos e as várias jogadas de marketing dos clubes motivadas por patrocinadores, como cores do uniforme diferente da tradição, sejam cada vez menores e que o velho e bom futebol não desapareça por completo.    

O vídeo acima retrata bem a diferença entre o futebol moderno e o tradicional. No futebol tradicional a maior parte do público fazia parte de organizadas ou pelo menos tinha maior convivência com o clube. Atualmente, grande parte do público não sabe dos principais cantos do clube, repetindo sempre os mais conhecidos. Além da diferença de público, estádios antigamente eram frequentados de chinelos e roupas consideradas comuns, diferentemente de hoje em dia. 

Você verá também outros pontos que são motivos de revolta hoje em dia, como:

1. Divisão da torcida visitante 
2. Sinalizadores 
3. Bandeirões x Mosaicos 
4. Jogos sentados 

Outro ponto que cada vez chama mais atenção é a presença ou não de organizadas nos estádios. Não podemos discordar que são as organizadas que mais fazem "barulho" nos jogos, mas brigas entre torcidas são também cada vez mais frequentes. A verdade é que sem as organizadas o futebol tradicional iria acabar cada vez mais rápido, porque mesmo em jogos com torcida única há brigas, e infelizmente algumas pessoas vão a jogos para brigar e não para assistir, sendo essas que deveriam ser punidas pelos seus atos, não toda uma torcida organizada. 

1. Divisão da torcida visitante 

A regra de liberação de 10% dos assentos para torcedores visitantes nem sempre é cumprida. Muitas vezes, a porcentagem de assentos liberados fica em torno de 5 a 6%, com vários torcedores ficando do lado de fora do estádio por motivos "desconhecidos". Muitos deles têm receio de que uma maior liberação de assentos para torcedores visitantes resultaria em mais brigas, mas nem sempre essa história é verdade, como vimos no jogo entre Vasco x Flamengo pelo Campeonato Carioca 2016 em Manaus, onde grande parte das duas torcidas compareceram e fizeram um verdadeiro espetáculo.

flamengo-x-vasco-arena-amazonia-futebol-moderno-deve-ser-uma-evolucao-e-nao-uma-anulacao-do-tradicional

Crédito foto: Gilvan de Souza | Flamengo

Devemos permitir que uma maior porcentagem de torcedores visitantes seja concedida na casa do adversário, quem sabe assim não vemos outra invasão do Maracanã? Além de uma maior quantidade de visitantes, regras mais rígidas para quem brigar ou cometer algum ato de vandalismo também devem ser pensadas para fazer do espetáculo, um jogo de futebol ainda mais bonito.

2. Sinalizadores 

Atualmente, talvez o tema mais polêmico seja o uso de sinalizadores pela torcida. Os novos sinalizadores, conhecidos pelas organizadas como pisca-pisca, não possuem o "tiro" que os mais antigos tinham, que inclusive resultou na morte de um adolescente em jogo do Corinthians pela Libertadores. Mesmo que esses novos sinalizadores não sejam tão perigosos, ainda não há uma nova regra para o uso desses, sendo a proibição geral para qualquer tipo de sinalizador. Mesmo "proibidos", os clubes que tiveram torcedores usando sinalizadores não tiveram uma pena tão rígida e muitos rotulam essa regra como frouxa. 

sinalizador-corinthians-futebol-moderno-deve-ser-uma-evolucao-e-nao-uma-anulacao-do-tradicional

Crédito foto: Getty Images

A questão da permissão ou não dos sinalizadores é uma mera questão de falta de organização pelos órgãos reguladores. Vemos países como Alemanha permitindo o uso desses sem problemas, bastando um acordo entre os torcedores e os responsáveis pelos eventos. Um exemplo mais específico aconteceu no jogo do Borussia Dortmund, onde o juiz atrasou um pouco o jogo apenas para a fumaça causada pelos objetos subir, retornando a partida assim que o ambiente foi considerado ideal novamente, não causando nenhuma punição. 

3. Bandeirões x Mosaicos 

Isso é apenas uma questão de gosto. Alguns preferem mosaicos e outros bandeirões, mas atualmente bandeiras de mastro e baterias andam proibidos nos estádios. A proibição foi causada por uma de "falta de organização" com esses objetos, mas que fazem parte da torcida tradicional é inegável. 

futebol-moderno-deve-ser-uma-evolucao-e-nao-uma-anulacao-do-tradicional-bandeiroes-mosaicos

Crédito foto: Reprodução

4. Jogos sentados

A questão dos jogos sentados não tem relação com regras ou organizadores dos eventos, mas sim com os próprios torcedores. Gourmetização, europeização dos estádios são termos muito usados atualmente para designar os torcedores gourmet, aqueles que vão para um evento esportivo para presenciá-lo como se fosse um teatro. Devemos respeitar os gostos de cada um, mas com as atuais configurações dos estádios, apenas um tipo de público está sendo beneficiado, exceto em alguns casos em que o estádio possui uma geral. 

Antigamente víamos a maior parte do estádio composta por pessoas que hoje se conformam com uma pequena zona sem cadeiras que chamam de geral, com setores do estádio ficando praticamente vazios em jogos de menor expressão, por motivos de que pessoas com melhores condições não gostariam de ir assistir a jogos ruins. Isso faz com que o estádio não tenha bom público nesses jogos, com esses setores vazios e altos preços, juntamente com as cadeiras vazias para separarem as torcidas. 

futebol-moderno-deve-ser-uma-evolucao-e-nao-uma-anulacao-do-tradicional-arena-corinthians

Crédito foto: Foto: Daniel Augusto | Agência Corinthians

Um bom exemplo da questão de divisão dos públicos no estádio pode ser visto na Arena Corinthians, com os setores Leste e Oeste ficando nitidamente com menor público comparado ao Sul e Norte. Isso se deve ao preço dos ingressos, mas também ao tipo de torcedores que você verá em cada setor, com o "povão" na Sul e Norte e os que vieram para assistir de Leste e Oeste, mas não generalizando. 

E você, o que acha do futebol tradicional e do moderno? Os dois não deveriam ser uma anulação do outro como está sendo, mas uma evolução. Atualmente vários fatores estão tirando o verdadeiro futebol dos torcedores, o que vem causando uma certa revolta, mas será que com uma união entre torcedores, clubes e organizadores poderemos ver em breve a volta dos anos dourados do futebol? Comente a sua opinião.

E aí curtiu o nosso conteúdo? Compartilhe com os seus amigos!

Veja também:
5 vezes em que os sinalizadores acabaram com o futebol
Brasileirão: Futebol não é feito apenas no campo; entenda
Rio 2016: Saiba três segredos dos Estados Unidos para ter atletas talentosos

Veja Mais Notícias Assim

Categorias: Futebol, Corinthians, Brasil, torcida, Futebol Moderno, Futebol Tradicional, Torcida Única

Matheus Almeida

Escrito por Matheus Almeida

Recent Posts

Lists by Topic

see all
New Call-to-action